quinta-feira, 3 de maio de 2012

pra resolver a vida

E se eu te disser que tô com duas passagens compradas pro próximo voo praquele país que a gente sempre sonhou? Você pensaria que é covardia arrumar uma viagem para solucionar os nossos problemas com as contas de casa, com o emprego, com os cursos de idiomas e com todas as amizades incompreendidas? Ou será que me daria a mão, mesmo gelada e trêmula de medo, e convenceria a agente de bordo a te colocar do meu lado no avião? Às vezes eu acho que fugir já é mudar, causar alguma transformação no mundo, mesmo que seja apenas no nosso. 

Quantas foram as vezes que batemos o pé no ônibus e levantamos o tom com algum vendedor folgado que pensava estar fazendo um favor em nos atender? Quantas foram as injustiças que ouvimos com vontade de apontar o dedo na cara de alguém? Não dá mais pra bancar a ranzinza, reclamar de tudo e tentar educar cada ser nos rodeia. E, olha, sinceramente já nem acho que isso é pedantismo. Afinal, você sabe que criamos uma fórmula infalível e completamente impraticável para mudar o mundo. 

Ok. Tudo bem, tá certo. A gente pode só entrar no avião começar a vida da extensão dos nossos sorrisos. Sairíamos de mãos dadas e nos beijaríamos quando desse vontade. Seria o nosso mundo - com novos, problemas é verdade, mas o desafio já valeria por ter você ao meu lado.

E se eu te disser que não garanto o emprego dos seus sonhos e nem mesmo a melhor casa do mundo? Você pensaria que é muita tolice minha pensar que você arrumaria uma nova vida assim, sem garantias? Ou será que me daria um beijo e diria que ao meu lado qualquer emprego valeria, desde que ao final do expediente a gente pudesse deitar no mesmo sofá pra assistir qualquer coisa na TV?

Às vezes eu acho que eu toparia ter o gato ou o cachorro que você quisesse, já que o sorriso no seu rosto é melhor do que qualquer sossego de uma casa quieta. Quantas foram as vezes que planejamos tomar chazinho de mãos dadas, passar dias e dias de uma viagem só no quarto de hotel ou ainda fazer coberturas exóticas no próprio corpo?

Não dá mais pra bancar a apaixonada contida, desejar sua presença baixinho e tentar disfarçar o sorriso que se abre em mim quando você se aproxima. 
E, olha, sinceramente nem acho que isso é só amor. Afinal, você sabe que criamos um modo parelo de dizer eu te amo.  

Poltrona 5C e 17A
Destino: desconhecido
Horário de embarque: agora

Te espero com um dente de leão na mão na porta da sua casa. 

17 comentários:

  1. Há muito não parava pra ler um texto, que dirá um texto de blog, poema, coisa assim... O dia-a-dia ficou muito mais puxado nos últimos tempos e escrevo isso com os olhos ardendo de cansaço, rs. Mas num reclamo não, como diz seu texto, minha "fuga" foi a maternidade. Eis que me transformou inteirinha! Talvez nem me reconheça mais... rs. Ao mesmo tempo que isso tudo me fez resgatar o alguém que parecia adormecido dentro de mim.

    É, é preciso um jeito paralelo de se viver, de dizer "eu te amo", de esquecer desagrados... E mesmo sem sairmos do lugar físico, espero poder me aventurar pelo mundo segurando um dente de leão na mão, pra inspirar toda coragem desse mundo!

    Saudades, moça!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que no turbilhão dessa nova vida você usou seu tempo exatamente para ler o meu texto. As coisas são engraçadas nessa vida, cada uma foi prum lado. Só não queria que fosse pra lados tão distantes, pois sinto falta da sua amizade também. De jogar conversa fora de saber como vão as coisas, a sua princesa e o seu amor. A aventura da vida da gente é essa mesmo, seguir pra onde o vento mandar, como um dente de leão que foi soprado por alguém que sabe amar! Saudades, moça!

      Excluir
  2. O resumo do que não se resume...=)
    http://www.youtube.com/watch?v=RpPJOT6mUpo

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. o amor e a paz não se resumem mesmo! Obrigada!

      Excluir
  3. sortudo o homem que habitou sua mente no momento da escrita.
    ass: TiLL Monteiro

    ResponderExcluir
  4. Diz que me ama e eu não sonho mais

    ResponderExcluir
  5. Poxa Anna... adorei seu texto... :D

    ResponderExcluir
  6. É tanto sentimento que eu senti até um nó da garganta. Incrível a forma que você utiliza das palavras, a leveza com a qual você retrata uma situação tão difícil. Lindo, lindo, lindo!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Ah, que delícia é ouvir coisas lindas assim vindas de você, lindeza!!! Nó na garganta a gente desata com um beijo apaixonado na boca!!! rs Muito bom ter você por aqui!

      Excluir
  7. Sempre me seduziu a ideia de que "fugir já é mudar, causar alguma transformação no mundo, mesmo que seja apenas no nosso". Mas o engraçado foi como assim que li o trecho senti qu'ele já era uma verdade pra mim desde sempre, mas que até aquele exato instante eu não havia conseguido torná-lo tangível.

    ResponderExcluir
  8. Belo texto Ana, lendo ele lembrei de uma música do Skank.

    " Vamos fugir!
    Pr'outro lugar
    Baby!
    Vamos fugir
    Pr'onde quer que você vá
    Que você me carregue..."

    Muito bom!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigada, Bruno! A ideia era essa mesmo, fugir mesmo que fosse pra dentro de mim levando alguém junto. =)

      Excluir