quinta-feira, 3 de maio de 2012

pra resolver a vida

E se eu te disser que tô com duas passagens compradas pro próximo voo praquele país que a gente sempre sonhou? Você pensaria que é covardia arrumar uma viagem para solucionar os nossos problemas com as contas de casa, com o emprego, com os cursos de idiomas e com todas as amizades incompreendidas? Ou será que me daria a mão, mesmo gelada e trêmula de medo, e convenceria a agente de bordo a te colocar do meu lado no avião? Às vezes eu acho que fugir já é mudar, causar alguma transformação no mundo, mesmo que seja apenas no nosso. 

Quantas foram as vezes que batemos o pé no ônibus e levantamos o tom com algum vendedor folgado que pensava estar fazendo um favor em nos atender? Quantas foram as injustiças que ouvimos com vontade de apontar o dedo na cara de alguém? Não dá mais pra bancar a ranzinza, reclamar de tudo e tentar educar cada ser nos rodeia. E, olha, sinceramente já nem acho que isso é pedantismo. Afinal, você sabe que criamos uma fórmula infalível e completamente impraticável para mudar o mundo. 

Ok. Tudo bem, tá certo. A gente pode só entrar no avião começar a vida da extensão dos nossos sorrisos. Sairíamos de mãos dadas e nos beijaríamos quando desse vontade. Seria o nosso mundo - com novos, problemas é verdade, mas o desafio já valeria por ter você ao meu lado.

E se eu te disser que não garanto o emprego dos seus sonhos e nem mesmo a melhor casa do mundo? Você pensaria que é muita tolice minha pensar que você arrumaria uma nova vida assim, sem garantias? Ou será que me daria um beijo e diria que ao meu lado qualquer emprego valeria, desde que ao final do expediente a gente pudesse deitar no mesmo sofá pra assistir qualquer coisa na TV?

Às vezes eu acho que eu toparia ter o gato ou o cachorro que você quisesse, já que o sorriso no seu rosto é melhor do que qualquer sossego de uma casa quieta. Quantas foram as vezes que planejamos tomar chazinho de mãos dadas, passar dias e dias de uma viagem só no quarto de hotel ou ainda fazer coberturas exóticas no próprio corpo?

Não dá mais pra bancar a apaixonada contida, desejar sua presença baixinho e tentar disfarçar o sorriso que se abre em mim quando você se aproxima. 
E, olha, sinceramente nem acho que isso é só amor. Afinal, você sabe que criamos um modo parelo de dizer eu te amo.  

Poltrona 5C e 17A
Destino: desconhecido
Horário de embarque: agora

Te espero com um dente de leão na mão na porta da sua casa.