quarta-feira, 1 de abril de 2015

Perdas e ganhos

Entrar numa lacuna da mente. Caminhar por áreas desconhecidas dentro de si mesmo. Um universo. O meu corpo é um mundo. Mudo — mas que fala. Eu exploro com medo. Por quê? O autoconhecimento pode ser assim tão assustador? Seria esse um medo de me decepcionar comigo mesma? Imagine a frustração de descobrir ser o que não se quer. O que renega. O que condena. O que perturba. O que mutila. 

Qual é o problema com a alegria? Ela não precisa mesmo ser um problema. Precisa?
Às vezes falta o ar. Uma perturbação que assusta. Estou me perdendo ou me ganhando?