terça-feira, 27 de outubro de 2009

Em cárcere



Não é de hoje que ele fala por mim.


"Com o tempo aprendi que o ciúme é um sentimento para proclamar de peito aberto, no instante mesmo de sua origem. Porque ao nascer, ele é realmente um sentimento cortês, deve ser logo oferecido à mulher como uma rosa. Senão, no instante seguinte ele se fecha em repolho, e dentro dele todo o mal fermenta. O ciúme é então a espécie mais introvertida das invejas, e mordendo-se todo, põe nos outros a culpa da sua feiura. Sabendo-se desprezível, apresenta-se com nomes suspostos, e como exemplo cito a minha pobre avó, que conhecia seu ciúme como reumatismo."

*Trecho retirado do confuso e envolvente Leite Derramado, de Chico Buarque.

11 comentários:

  1. Bem, quando se trata de ciúmes, o assunto vai longe. Todos nós temos lá no fundo, um sentimento de ciúmes ou algo parecido. É uma sensação estranha, quando acontece, a raiva aumenta, os olhos se fixam, isso quando não engolimos seco.
    Não sei se isso é bom ou ruim, o que eu sei é que todos nós já passamos por isso, sabendo que estávamos "possesso" ou não.

    ResponderExcluir
  2. Chico Buarque sempre com lindas palavras né? Adorei essa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. São impressionantes as coisas que acontecem nessa blogosfera. Eu costumo postar sobre livros lá no Impressões. Semana passada acabei de ler Leite Derramado mas não postei sobre ele. Não encontrei palavras. Sabe quando vc conhece uma pessoa, tem uma relação passageira e profunda, especial mesmo com ela, mas quando vai tentar explicar pra alguém não consegue? Então, foi isso. Só que, mesmo não postando no Impressões, falei sim rapidamente sobre LD com um amigo. Adivinha sobra qual trecho. O mesmo que vc postou. Exatamente o mesmo. Curioso, não?

    P.S.: Acho que agora criei coragem pra falar sobre LD... rs. Bjs.

    ResponderExcluir
  4. Ciumes, tantas formas de interpretar mas uma única verdade vem junto, sentimento... Quem sente ciumes ama... Mas nem sempre quem ama sente ciumes... OK, comecei a viajar... Vim mesmo só agradecer o carinho ..Acabei relendo e viajando no texto.

    Beijo

    ResponderExcluir
  5. Frias pedras, negro basalto
    Sentinelas do receio à tempestade
    Testemunhas da viajem do tempo
    Cobertas de sal, guardiãs da verdade

    Mas, não há duas reais verdades
    Não há rios que correm para o alto
    Não há amor num coração que mente
    Não há ternura sem viver o momento


    Vem viver a minha cidade inventada


    Doce beijo

    ResponderExcluir
  6. Não vamos chorar o leite derramado. Ciúme é bom até o moderado, passou disso é como diz o poeta é "Reumatismo." Adorei as fotos! Beijo

    ResponderExcluir
  7. Acredito que o ciúmes é uma reação natural de quem ama, é claro quando se apresenta de maneira moderada... Porém, é extremamente danoso quando apresentado em doses cavalares...

    Realmente o Chico Buarque conhece a arte da palavra.

    ResponderExcluir
  8. Não foi nenhuma dica de livro, mas senti desejo em passar para o próximo paragrafo.

    ResponderExcluir
  9. que escolha feliz a desse trecho, eu amo o Chico, queria que ele escreve uma letra pra mim. (a loca)
    sobre ciúmes, fico com o Raul:

    "O ciúme é só vaidade

    Sofro mas eu vou te libertar".

    ResponderExcluir
  10. Penso diferente de Beki. Acredito que, na verdade, quem ama sente ciúmes, mas quem sente ciúmes nem sempre ama. Estas querem a posse, a vaidade do orgulho..., da posse, como Anna disse que Raul disse "o ciúme é só vaidade. ... sofro mas eu vou te libertar!"

    ResponderExcluir
  11. Ana, concordo com tudo que o Chico diz, sempre.
    Sinto o mesmo haha

    ResponderExcluir